Já valeu a pena!

Uma expressão popular consegue traduzir o que tenho passado: tá osso!

A única certeza que as circunstancias que me cercam imprime é a contraditória incerteza.

Tantos pontos indefinidos, tantas variáveis, tantas possibilidades, tudo ainda sem definição alguma.

Há algum tempo atrás tudo isso me abalaria o eixo, me tiraria do prumo. E foi olhando pra trás e observando a realidade que vivi que hoje posso entender o que hoje estou experimentando. Aquilo que antes só ouvia falar, hoje posso ver, viver. Somente experiências permitem isso. E somente Deus permite estas experiências para cumprir propósitos específicos.

Ouvir falar na casa edificada sobre a rocha é uma coisa, perceber que a sua casa não está sendo destruída pela tempestade é outra.

As palavras saltam e tomam corpo, vida. Deus é trazido pra perto (lugar onde sempre esteve), porque é a hora em que se necessita de sustento, amparo. É a hora dos braços envolvidos e entrelaçados. É a hora do colo que conforta, abriga. Do abraço que encoraja. Da rédea que é tomada. É o ponto onde se olha pra frente e se enxerga Alguém na condução de tudo.

Por tudo isso tenho cantado assim: “Não compreendo os Teus caminhos, mas Te darei a minha canção…” porque na realidade, viver a verdade já tem feito valer a pena!